cós
(provençal cors, corpo)

s. m. 2 núm.
1. Tira de pano que rodeia a cintura ou reforça os punhos e o colarinho.
2. Parte do vestuário onde se situa essa tira.
Quando se faz uma camisola simples, o mais provável é que o cós seja em canelado 1/1 ou 2/2. Isto quer dizer que alternamos uma meia e uma liga ou duas meias e duas ligas.
Ao alterarmos este ponto podemos tornar toda a camisola muito mais interessante e na maior parte das vezes não é necessário nenhum ponto muito complicado.
Temos que ter em consideração a elasticidade que pretendemos nesta zona. Os canelados por regra são bastante elásticos e ajustam a peça.
Por isso o ideal é tricotar uma amostra na lã que pretendemos utilizar e ver como funciona este novo ponto e se gostamos da transição para o jersey.
Uma das opções mais simples é a simpática jarreteira, o ponto dos mil nomes, que é também conhecido por manta de gato, ponto de liga, ponto mousse e ponto musgo. Para o realizar, temos que tricotar no direito e no avesso do trabalho da mesma forma: sempre em meia ou sempre em liga.
Este é um exemplo chamado Twiggy Cardigan, que resulta muito bem.
Outro ponto muito simples e interessante é o Mistake-Stitch Ribbing.
Para o fazer  precisamos de um nº total de malhas que seja múltiplo de 4 + 3.
Por exemplo: 5×4+3= 23 malhas, 7×4+3=31 malhas
m=meia
l=liga
Todas as carreiras: *2m, 2l; terminamos com 2m, 1l.
Outro ponto bonito com rendados é o Double Eyelet Rib.
Neste ponto precisamos de ter um nº total de malhas que seja múltiplo de 7+2.
1ª e 3ª carreiras ( avesso do trabalho ): 2m, *5l, 2m; repetir a partir do *.
2ª carreira: 2l, *5m, 2l; repetir a partir do *.
4ª carreira: 2l, * 2m juntas, laçada, 1m, laçada, 1 m acavalada, 2l; repetir a partir do *.
Repetir estas 4 carreiras.
As tranças e os torcidos no cós têm também um efeito muito bonito.
Deixo aqui dois exemplos nos quais não têm que retirar malhas para agulhas auxiliares, mas qualquer ponto que conheçam resulta de certeza bem!
Canelado Entrançado
Neste ponto precisamos de ter um nº total de malhas que seja múltiplo de 5+2.
1ª carreira ( direito do trabalho ): 2l, *metemos a agulha de trás para a frente entre a 1ª e a 2ª malha e tricotamos em meia a 2ª malha, depois tricotamos em meia a 1ª malha e tiramos as duas ao mesmo tempo, 1 m, 2l; repetir a partir do *.
2ª carreira: 2m, *ignorar a 1ª malha e tricotar a 2ª malha em liga, depois tricotar a 1ª malha em liga e tirar as duas ao mesmo tempo da agulha; repetir a partir do *.
Repetir estas duas carreiras.
Canelado em malhas cruzadas
Neste ponto precisamos de ter um nº total de malhas que seja múltiplo de 4+2.
1ª carreira ( direito do trabalho ): 2l, *ignoramos a 1ª malha e tricotamos a 2ª malha em meia, depois tricotamos em meia a 1ª malha e tiramos as duas malhas da agulha, 2l; repetir a partir do *.
2ª carreira: 2m, *2l, 2m; repetir a partir do *.
Repetir estas duas carreiras.
Puff Rib é um ponto bastante texturado e com algum volume.
Neste ponto precisamos de ter um nº total de malhas que seja múltiplo de 3+2.
1ª carreira ( direito do trabalho): 2l, *laçada, 1m, laçada, 2l; repetir a partir do *.
2ª carreira: 2m, *3l, 2m; repetir a partir do *.
3ª carreira: 2l, * *3m, 2l; repetir a partir do *.
4ª carreira: 2m, * 3 ligas tricotadas juntas, 2m; repetir a partir do *.
Repetir estas 4 carreiras.
As alternativas são imensas!
E porque não usar as Rosinhas de Portugal, os borbotinhos resultam muito bem nestas zonas, ou alguma cor como aqui na chamada Corrugated Rib.
Outra forma de alterar o cós e que resulta bem, é simplesmente fazê-lo mais alto como nas bonitas camisolas dos anos 40.
PS – Desculpem os termos em inglês, mas desconheço as traduções. alguém me pode ajudar? 🙂

4 comments on “O cós”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.